Quantas horas precisamos dormir?

Dormir pouco pode fazer mal à saúde e contribui para a falta de energia, cansaço, fadiga, dificuldade no desempenho das atividades do cotidiano bem como no processamento da memória.

Em contrapartida, a ciência vem descobrindo que o sono prolongado pode ser ainda mais prejudicial. Já se sabe que, além das doenças cardíacas, dormir além da conta pode aumentar o risco de várias outras doenças: Diabetes, derrames cerebrais, obesidade, depressão e até mesmo demência.

Quantas horas precisamos dormir?

A Fundação Nacional do Sono, nos Estados Unidos, analisou várias pesquisas científicas e definiu quantas horas de sono são necessárias diariamente para não prejudicar a saúde, de acordo com cada idade:

Recém-nascido (0 a 3 meses): 14 a 17 horas;
Bebê (4 a 11 meses): 12 a 15 horas;
Criança (1 a 2 anos): 11 a 14 horas;
Pré-escolar (3 a 5 anos): 10 a 13 horas;
Criança em idade escolar (6 a 13 anos): 9 a 11 horas;
Adolescente (14 a 17 anos): 8 a 10 horas;
Adulto (18 a 64 anos): 7 a 9 horas;
Idosos (65 anos ou mais): 7 a 8 horas.

Referência: https://bit.ly/30qYDzd

Dores nas costas noturna

Muitas vezes durante o período do sono acordamos com uma dor em queimação ou um formigamento que nos tira o sono. Isso se dá ao fato de que, além de levarmos o peso da cabeça sobre o pescoço, muitas vezes colocamos o mundo sobre ela. Não sabemos separar o trabalho de casa, os problemas da rua, na rua e acabamos levando isso para o nosso quarto na hora do nosso descanso.  Uma das primeiras regiões do corpo que causam essa dor e não percebemos é a face, onde rangimos os dentes ao descansar sem ao mesmo perceber, notado geralmente pelo parceiro (a), por quem se encontra por perto. E muitas vezes também sofremos de radiculopatia.

Nesses casos geralmente, já estamos com hérnias discais instaladas, desgastes entre as vértebras, desidratação dos discos, ocasionados pelo sedentarismo, pela fraqueza muscular e até pelo desequilíbrio emocional. As vezes precisamos investir em nós mesmos, em nossa relação mente/corpo e afastar as interferências que causam essa desarmonia.

Contato Dr. Jeferson Molina:+55 (51) 3141 4668 
+55 (51) 99540.5767
 contato@jefersonmolina.com.br 

Exercício físico

Nada melhor do que acordar pela manhã com a sensação de descanso merecido, sentindo os músculos relaxados, a energia vigorante e a vontade de fazer mil coisas ao mesmo tempo com pensamento positivo.

Quando passamos a nos preocupar com nosso estilo de vida, tudo isso acontece, quando passamos a investir na qualidade do nosso sono, passamos a ter mais disposição, vigor, disposição, memória, menos estressados, mais calmos, bem menos tensão nervosa, menos dor muscular, nosso organismo funciona melhor e principalmente um humor mais equilibrado. Mas isso porque, o sono e atividade física andam de mãos dadas.

As pessoas quando sedentárias entram na zona de conforto, acordam, pegam o jornal para ler e se não tiver pão em casa, pegam o carro e vão até a padaria comprar o pão para comer com margarina e por aí vai. Acabam dizendo que a falta de tempo é o motivo que faz com isso ocorra não tendo tempo para a prática de atividade física, o que denominamos de fuga. Além da atividade física liberar hormônios importantíssimos para a Saúde mental, faz com que passamos a ter uma preocupação maior com nosso estado geral, sem contar que auxilia nos casos de insônia crônica, bruxismo, e muitas outras desordens relacionadas ao sono.

Contato Dr. Jeferson Molina:+55 (51) 3141 4668 
+55 (51) 99540.5767
 contato@jefersonmolina.com.br 

Estresse e o sono

Atualmente se fala muito em corpo e mente em equilíbrio, e nos dias de hoje é difícil encontrar alguém que não sofra da fadiga mental. Isso se dá quando sobrecarregamos nosso sistema nervoso central, com excesso de responsabilidades, sobrecargas, preocupações e tensões que acumulam provocando consequentemente um desgaste.

Quando isso ocorre, logo sentimos sintomas físicos, sendo o primeiro deles a dor, segundo alteração de humor e terceiro a baixa na auto estima. O nosso físico carrega uma série de pressões, problemas de relacionamento, problemas no trabalho, problemas na família, enfim, e dificilmente sabemos lidar com essa situação, o que muitas vezes nos tira o sono.  Todos nós sabemos que a maior indicação nesses casos é o relaxamento, a consciência corporal, e não o relaxante muscular. Às vezes, é preciso mudar hábitos em nosso dia a dia e em nossa vida, talvez não podemos mudar a si mesmo, mas com certeza podemos melhorar e fazer com que tudo seja melhor ao nosso redor em nosso dia a dia. Precisamos aprender a gerenciar nossos problemas e preocupações para que posteriormente tenhamos uma noite bem dormida e bem descansada. O simples fato de mudar sua maneira de pensar e respirar pode mudar completamente o seu estilo de vida.